« Voltar

Como andar no pelotão com bicicletas de estrada?

Como andar no pelotão com bicicletas de estrada?

Andar “no bloco” é uma das partes mais legais do ciclismo de estrada. Mas, existem algumas regras e comportamentos importantes para fazer isso com segurança

Rápido, eficiente e imponente, o pelotão é uma das características mais marcantes do ciclismo de estrada. Dentro dele, você cumpre distâncias maiores em menos tempo, interage com pessoas legais e, de quebra, ainda se sente um verdadeiro “road biker”, disputando o Tour de France da sua cidade. 

Mas, para rodar com segurança e fazer amigos no bloco, é preciso seguir algumas dicas importantes. 

Confira!

Dicas de segurança

1 – Jamais ande de “meia roda”

Andar de “meia roda” é a coisa mais arriscada que você pode fazer no pelotão, por isso colocamos essa dica em primeiro. 

Esta situação acontece quando a roda dianteira de um ciclista fica emparelhada com a roda traseira de outro. 

Nesta situação, o ciclista que vai a frente pode mover-se lateralmente, tocando a roda dianteira de quem vai atrás – como o guidão da bike vira, o tombo é inevitável. 

Por isso, quando for andar em um pelotão, jamais permita que sua roda dianteira ultrapasse a roda traseira de quem vai à sua frente. O ideal é seguir logo atrás, com cerca de um palmo entre os pneus das duas bikes.

2 – Mantenha sua linha e seja previsível

A previsibilidade é a maior aliada da segurança no pelotão. Por isso, ao fazer curvas, mantenha a sua linha, sem abrir ou fechar a tangente. 

O mesmo vale para quando estiver andando reto. Se você perceber que precisa mover-se lateralmente dentro do bloco, tenha certeza que não vai fechar ninguém, e que os outros ciclistas entenderam sua intenção – para fazer isso, você pode sinalizar com as mãos.

3 – Não seja a turma do fundão

O fundo do pelotão costuma ser mais perigoso do que a frente. Afinal, quanto mais ciclistas estiverem à sua frente, maiores são as chances de você se envolver em um acidente caso alguém leve um tombo. 

Outro detalhe é que, em frenagens e acelerações, a traseira do pelotão sofre o efeito sanfona, com a frente do bloco se distanciando da traseira. Com isso, a turma do fundão frequentemente faz mais força do que quem vai nas primeiras posições.

4 – Cuidado ao levantar para pedalar

Quando levantar-se do selim para pedalar em pé, tome cuidado para não jogar a bike para trás. Isso acontece porque, quando levantamos do selim, normalmente deslocamos nosso tronco para frente. Graças a terceira Lei de Newton, a bike move-se para trás em relação ao ciclista quando isso acontece. 

O risco, nesse caso, é atingir a roda da frente de alguém que esteja muito perto de você. Por isso, a melhor coisa a se fazer é levantar com calma, controlando o movimento da bike com o seu corpo. 

5 – Não use o “aerobar”

Jamais ande apoiado nos aerobars (também conhecidos como clips) dentro de um pelotão. Nele, além de ficar sem acesso aos freios, o ciclista ainda fica com o controle reduzido sobre a bicicleta – o risco de tombos é enorme. 

6 – Cuidado com bicicletas com guidão reto tipo MTB

Bikes de speed tem o guidão curvo e sem nenhuma “ponta” para fora. Com eles, é muito comum que os ombros do ciclista façam contato antes do guidão – a situação é facilmente contornável, desde que você mantenha a calma.

Já as bicicletas de trilha ou híbridas, com o guidão reto, são mais perigosas no bloco, já que além de serem mais largos, os guidões retos podem ficar enroscados quando uma bike está ao lado da outra. 

7 – Cuidado para comer e beber água

Se for comer ou tomar água, convém mover-se para a traseira do pelotão, para não colocar a segurança do grupo em risco – as chances de cometer um erro aumentam nessas horas.

8 – Preste atenção nos integrantes do pelotão

Infelizmente, algumas pessoas têm mais habilidade com a bike do que outras. Por isso, vale a pena prestar atenção em ciclistas que pedalam balançando demais a bike, ou nos que fazem movimentos bruscos – o ideal é ficar longe de pessoas assim.

Também fique de olho em quem está cansado, já que uma pessoa no limite das forças tende a cometer erros.

9 – Cuidado com os freios

Para fazer pequenas mudanças de velocidade, levante o tronco e use a resistência do ar. Se precisar usar os freios, faça isso com cuidado.

Reduzir a velocidade no pelotão é algo que deve ser feito com muita atenção e delicadeza, já que uma frenagem brusca pode gerar um efeito cascata e causar um tombo atrás de você. 

10 – Sinalize obstáculos

Se perceber um buraco ou objeto na pista, aponte para ele de forma incisiva. Com isso, os ciclistas que vem atrás de você sabem para onde e pode ou não pode ir.

11 – Aprenda a saltar

Se você der de cara com um buraco ou uma pedra, muitas vezes saltar pode ser sua única opção, já que desviar ou frear rapidamente pode facilmente gerar um tombo. Por isso, aprenda a dar pequenos saltos com a bike.

Dicas de etiqueta

1 – Cada grupo tem um objetivo

Alguns grupos de ciclistas reúnem-se para fazer simulados de corrida, outros preferem rodar em ritmos mais constantes. Entender qual é o objetivo do grupo é fundamental para não ser o “peixe fora d’água”. 

Atacar um grupo de passeio não é a melhor maneira de fazer amigos, nem sobrar de um simulado de corrida e ficar reclamando.

2 – Apresente-se e entenda o grupo

A primeira coisa a fazer ao chegar em um grupo de ciclismo é apresentar-se de forma cordial. Depois, quando o pedal começar, rode dentro do bloco e tente entender sua dinâmica. 

Não é legal chegar em um pelotão e, logo de cara, sair puxando o grupo, principalmente se você acelerar ou diminuir o ritmo proposto. 

Muitos pelotões tem um “patron”, que é o “líder” natural do grupo – ele pode ser o ciclista mais forte, o mais experiente ou simplesmente o “cara que organiza tudo”. Essa pessoa é sua referência. 

3 – Avise se não for aguentar o ritmo

Quando a velocidade no pelotão aumenta, ele vira uma fila indiana. Nesta hora, se você estiver no meio do grupo e perceber que não vai suportar o ritmo, evite abrir um buraco no pelotão – quem fica atrás da quebra não vai ficar feliz com você.

Ao perceber que suas forças estão acabando, sinalize com o cotovelo para o ciclista que vem atrás possa assumir sua posição, e depois mova-se lateralmente para sair do grupo, de preferência sem reduzir muito a velocidade.

Para isso, é importante ainda ter um pouco de força nas pernas para fazer este processo.

4 – Puxe se perceber que pode

Puxar o pelotão é uma demonstração de que você está interessado em ajudar o grupo. Por isso, depois que você já se sentir mais integrado, vá para a frente e dê uma puxada, sempre mantendo o ritmo proposto.

5 – Leve suas ferramentas e seja auto-suficiente

Sempre que sair para pedalar, é importante carregar consigo tudo o que você precisa levar em uma pedalada, e isso obviamente inclui câmaras de ar reserva, remendos e bomba de encher pneus. 

Sim, talvez outras pessoas tenham essas coisas, e normalmente ninguém se importa de compartilhar uma vez ou outra. Porém, esquecer as coisas jamais deve ser sua rotina.

Conclusão

Como você percebeu acima, além das regras básicas de segurança, andar no pelotão também é questão de ser bem educado e ter um bom convívio social. Por isso, aproveite “o bloco” para bater papo, fazer amigos e dar risadas!

Afinal, a interação entre as pessoas é uma das melhores partes do ciclismo de estrada, e super vale a pena aproveitar-se disso!

Agora, bons pedais!