« Voltar

Como lavar e lubrificar a bike?

Como lavar e lubrificar a bike?

Manter sua bicicleta limpa e bem lubrificada é o primeiro passo para evitar que ela se desgaste de forma prematura 

Como você conferiu neste texto, existem muitas coisas que você pode fazer para manter a manutenção da sua bicicleta em dia. Mas, com certeza, a mais básica delas é manter a bike sempre limpa e bem lubrificada. Apenas fazendo uma boa limpeza e lubrificação da transmissão, você evita que a sujeira acumulada cause danos e desgastes desnecessários nos componentes. 

Mas, curiosamente, lavar a bike é algo que ainda assusta muita gente. Se este for o seu caso, você vai reparar no passo-a-passo abaixo que manter a bicicleta limpa e bem lubrificada não é nenhum bicho de sete cabeças. 

Por isso, mãos à obra!

O que você vai precisar para lavar a bike?

-Uma mangueira com água corrente
-Balde
-Panos limpos, macios e secos
-Uma esponja macia grande, dessas de lavar carro
-Uma escova grande com cerdas de nylon, dessas de lavanderia
-Uma escova pequena com cerdas mais duras (pode ser de dente)
-Produto de limpeza de bike Algoo concentrado ou diluído
-Lubrificante de corrente Finish Line

Observação: Evite usar jatos de água comprimida na bicicleta. Além da possibilidade de estragar a pintura, a água pode facilmente penetrar em componentes como cubos, caixa de direção e suspensão. Mesmo se estiver usando a mangueira, evite jatos fortes diretamente em componentes sujeitos à entrada de água. 

Lave a bike – Passo a passo

1 – Encha o balde com água e misture o produto de limpeza conforme recomendação do rótulo;
2 – Jogue água na bicicleta inteira para amolecer a sujeira;
3 – Jogue o Algoo na bike inteira, dando uma atenção especial para a transmissão – se possível, aplique o produto concentrado na corrente, cassete e coroas;
4 – Deixe agir por alguns minutos;
5 – Passe algumas borrifadas de Algoo na esponja e vá lavando a bicicleta de cima para baixo;
6 – Quando a esponja estiver suja, lave-a com a mangueira e, depois, mergulhe-a no balde para “recarregar” o Algoo;
7 – Terminando de lavar o quadro e demais componentes, chegou a hora de limpar os pneus e rodas;
8 – Para lavar as rodas, use a escova grande com cerdas de nylon. Se ela ficar suja, use o mesmo processo de limpeza que você usou com a espuma;
9 – Deixe para limpar a transmissão por último, já que ela suja mais os acessórios de limpeza;
10 – Coloque a corrente no pinhão pequeno e, com a bike em pé, aperte a escova contra o cassete e gire os pedais para trás – isso vai tirar boa parte da sujeira dele,
11 – Depois, limpe a escova e encoste-a na corrente e também na coroa. Mais uma vez, gire os pedais para trás para limpar tudo;
12 – Use a escova pequena para limpar os detalhes como as roldanas do câmbio e os “cantinhos” do cassete e das coroas – aplique Algoo sempre que necessário;
13 – Por último, enxague a bike por completo e, se achar necessário, limpe os detalhes que ainda estiverem sujos;
14 – Use os panos secos para secar a bike. Deixe para secar a transmissão por último, já que ela vai sujar o pano. 

Antes de lubrificar, seque tudo muito bem

Para lubrificar a corrente, é importante que ela esteja totalmente seca. Para isso, use os panos para secar o máximo possível e, depois, deixe que ela seque naturalmente por alguns minutos. 

Mas, nunca deixe a corrente da bicicleta por muito tempo sem lubrificante, principalmente depois de lavar a bike. Isso porque ela fica bastante sujeita à oxidação quando está sem nenhum tipo de lubrificante. 

Tipos de lubrificantes Finish Line

A Finish Line, e outras marcas, possuem diversas opções de lubrificação para correntes de bicicleta, cada uma indicada para uma condição de uso. Via de regra, os lubrificantes úmidos com óleo são mais indicados para condições molhadas. Apesar de aderirem mais à corrente, este tipo de lubrificante costuma acumular mais poeira, e também são mais difíceis de lavar.  

Já os lubrificantes tipo Cera criam uma camada super lisa sobre a corrente, apresentando baixíssimo acúmulo de sujeira. Por outro lado, eles têm uma durabilidade mais reduzida, exigindo aplicações mais frequentes. 

A marca ainda oferece lubrificantes com Teflon Fluoropolímero, que cria uma camada de proteção que mantém a corrente limpa, evitando o acúmulo de poeira e outros contaminantes. Além disso, o Teflon Fluoropolímero reduz a fricção da pedalada e repele a umidade.

Para mais informações, confira a tabela abaixo e escolha o melhor produto para o seu estilo de pedalada. 

Como aplicar o lubrificante?

Cada lubrificante tem um modo ideal de aplicação. Mas, normalmente, os lubrificantes úmidos funcionam melhor com uma menor quantidade de produto. Via de regra, uma gota por elo é o suficiente. Mesmo assim, muitas vezes vale a pena retirar o excesso depois que ele penetrar na corrente – você pode usar um pano limpo para isso. 

Já os lubrificantes estilo Cera e os Secos podem receber doses maiores a cada aplicação, já que a tendência de acumular sujeira é bem menor. Mesmo assim, a melhor coisa a se fazer é seguir a recomendação do fabricante. 

Evite produtos não aprovados para limpeza de bicicletas

Nunca utilize solventes fortes como Thiner e querosene para limpar a bicicleta. Este tipo de produto pode causar danos em componentes delicados como selamentos de suspensão, além de poder danificar a resina de peças de fibra de carbono, causando danos irreversíveis neles.

Além disso, mesmo produtos aparentemente inofensivos como detergentes de lavar louça podem conter muito sal, o que danifica peças de alumínio, deixando-as manchadas. Por isso, sempre utilize produtos indicados para limpeza de bicicletas como o Algoo ou semelhantes – de preferência, use limpadores biodegradáveis. 

Não use palha de aço ou o lado áspero da esponja

Para lavar a bike, principalmente para evitar riscar a pintura, é legal usar uma esponja macia, dessas indicadas para lavar carros. Mas, se for usar a esponja de lavar louça, jamais esfregue o lado áspero delas em nenhum componente da bike. 

Fazer isso pode causar danos na pintura e também no tratamento anti-atrito das hastes da suspensão e do shock. Para evitar este tipo de problema, o segredo é apostar na água e no produto de limpeza aplicados em abundância. 

Cuidado com produtos de limpeza e lubrificante nos freios

Evite deixar cair qualquer tipo de produto nos freios da bicicleta, sejam eles a disco ou não. Um freio contaminado pode perder eficiência e, no caso dos discos, barulhos chatos podem aparecer com facilidade. Por isso, quando for aplicar produtos de limpeza na bike, muitas vezes vale a pena proteger os discos com um pano. 

Tome cuidado com a solda química no canote

Ao lavar a bicicleta, vale a pena tomar um cuidado adicional com o canote do selim. Sejam o canote e a bike de alumínio ou carbono, jamais utilize desengraxantes, óleo ou graxa no componente, já que isso pode resultar no processo de solda química, que pode grudar o canote dentro do tubo do selim – também vale a pena secar bem as peças se perceber que elas estão úmidas.

Em componentes de carbono, caso o canote esteja escorregando e você já tenha atingido o limite no torque de aperto, o único produto que pode ser utilizado são as graxas ou pastas de atrito específicas para uso em bicicletas de carbono. Neste caso, a recomendação é utilizar apenas produtos de marcas conhecidas e confiáveis, como a Finish Line e a Park Tool. 

Outra dica para evitar a solda química é tirar o canote da bike de tempos em tempos, e passar um pano limpo e seco nele. 

Limpa e pronta para rodar!

Se sua bike é de estrada, com certeza é possível lavar ela apenas de tempos em tempos e, em muitos casos, apenas uma boa limpeza e lubrificação da transmissão é o suficiente para evitar os danos causados pela sujeira.

Mas, se você tem uma mountain bike, é muito interessante lavá-la com uma frequência um pouco maior, e de preferência logo depois de chegar do pedal. Até porque, a lama “molhada” sai muito mais fácil.

Tirando isso, boa limpeza e bons pedais!