« Voltar

Dicas e conselhos para mulheres que estão começando a pedalar

Dicas e conselhos para mulheres que estão começando a pedalar

Confira os conselhos de Raiza Goulão, atleta olímpica da Squadra Oggi, para mulheres que estão dando suas primeiras pedaladas!

Saúde, diversão, interação social e contato com a natureza. Venhamos e convenhamos, a bike é tudo de bom, e não é à toa que ela já deixou de ser moda e passou a ser tendência no mundo inteiro. 

Felizmente acompanhando esta tendência, seja na rua, na estrada ou nas trilhas, o número de mulheres que pedalam não para de crescer. Para dar as boas-vindas para as ciclistas que estão começando agora, batemos um papo com Raiza Goulão, atleta olímpica da Squadra Oggi, e preparamos algumas dicas especiais para você!

1 – A importância do bike fit

Mulheres costumam ter as pernas mais longas em relação ao tronco e aos braços quando comparadas com homens. Por isso, algumas marcas de bike oferecem modelos especificamente criados para mulheres, como a Oggi Float 5.0 HDS 2021.

Além de diferentes proporções, muitas vezes as mulheres têm o quadril mais largo, com uma distância maior entre os ísquios. Por isso, é comum que bikes femininas recebam um selim especial.

As bikes femininas podem ter outras diferenças como manoplas mais finas e guidões mais estreitos, mas isso realmente vai variar de marca para marca. Seja qual for o caso, um detalhe importante são os freios da bike – mulheres costumam se adaptar melhor aos discos hidráulicos, que tem acionamento mais leve. 

Por outro lado, absolutamente nada impede que uma mulher fique super bem adaptada em uma bicicleta “masculina”, já que medidas e proporções são fatores super individuais. Para não ter dúvidas na escolha, a dica de Raiza é apostar no ajuste postural na bicicleta.

“Acho que para toda mulher que está começando a pedalar, é sempre bom pensar em fazer o ajuste da bike, ou bike fit, ainda mais para poupar dores na lombar ou outras dores que a gente sente”, explicou a atleta. 

2 – Escolha o selim feminino ideal

Muita gente acredita que selins grandes e macios são os mais confortáveis, mas isso não é verdade. Como explicamos neste artigo com dicas para pedalar sem sentir as dores do selim, você aprendeu que o peso deve ficar apoiado nos ísquios, e por isso o banquinho da bike deve ter a largura perfeita, nem a mais, nem a menos. 

Assim, um selim feminino costuma ser um pouco mais largo e ter a ponta um pouco mais curta, mas nada impede que uma mulher se adapte bem com um selim masculino. Por isso, o segredo é sempre testar diferentes bancos, mas sempre dando preferência para os modelos femininos – as chances de acertar são maiores. 

3 – O que vestir?

As bermudas ou bretelles para ciclismo são extremamente importantes para ciclistas de todas as categorias e devem ser utilizadas sem calcinha, já que o tecido e as costuras tendem a machucar a pele. 

Quando for procurar uma bermuda ou bretelle, que são aquelas bermudas com alças como um suspensório, opte por modelos com desenho criado especialmente para as mulheres. 

Cuidado com bermudas masculinas, já que algumas delas possuem uma linha central que pode causar incômodos. 

“Acho muito importante buscar roupas adequadas. Gosto muito de utilizar bretelles e hoje existem linhas e materiais para mulheres. Existem forros melhores, mas querendo ou não, em um treino mais longo, você vai sentir incômodos. Isso é normal”, explicou Raiza. 

“Por isso, para mulheres, eu acho muito importante encontrar roupas confortáveis, e buscar materiais de qualidade, porque vale a pena um pouco mais de investimento”, complementou. 

Além disso, ela dá uma dica super importante sobre a escolha do bretelle, que pode fazer toda diferença na hora de fazer xixi.

“Existem bretelles para mulher que facilitam na hora de fazer xixi. Eles tem um plugue atrás, que você tira e abaixa o bretelle por trás. Eu só uso bretelles, é o que eu mais sinto confortável. Em dias de prova, se ele não for muito apertado, dá para puxar para o lado e fazer xixi. Se não, a solução é tirar a mochila e tirar a camisa. Eu não tenho muita vergonha, sou um pouco do mato, e isso é só a natureza chamando”, brincou a atleta. 

4 – Não esqueça de luvas, óculos e, principalmente, capacetes para cabelo comprido

Outro detalhe importante é a escolha correta das luvas. Assim como acontece com o selim, nem sempre as mais acolchoadas são as mais confortáveis. 

Muitas vezes, uma almofada bem posicionada é melhor do que várias no lugar errado. Por isso, não tenha medo de testar diferentes modelos até achar um que sirva bem. Lembre-se de escolher uma luva que não aperte e nem fique larga. 

Veja se você prefere luvas abertas ou fechadas. Experimente bastante e não peque pelo excesso. Geralmente, luvas com menos acolchoamento são mais confortáveis.

Outro detalhe fundamental é a escolha de um bom óculos esportivo, capaz de proteger os olhos contra objetos e insetos. Nesta hora, evite lentes de vidro e aposte em modelos esportivos – eles são mais leves, resistentes e embaçam menos.

Além disso, quando for comprar um capacete, escute esta importante dica de Raiza:

“Eu amo amarrar meu cabelo e encaixar ele dentro do capacete. Por isso, sempre que tenho um capacete, tento encontrar nele um lugar onde eu tenha por onde passar a trança”, explicou a atleta. 

“Quanto aos brincos, uso alargadores e não sou muito de brinco, mas acho que a melhor solução são os brincos menores. Você não precisa perder seu charme, já que nós mulheres, querendo ou não, prezamos pela delicadeza e pela vaidade, então é só se adaptar”, complementou. 

5 – Troque de roupa depois do pedal

Depois do pedal, lembre-se de tirar a roupa suja e fazer uma higiene pessoal o quanto antes, principalmente se você for parar para almoçar antes de voltar para casa, o que pode demorar algumas horas.

Para isso, leve uma muda de roupa e troque a bermuda assim que o pedal acabar. Os lencinhos umedecidos são super práticos para limpar o rosto e as partes íntimas, o que evita assaduras e infecções.

6 – Seus primeiros pedais

A primeira impressão é a que fica. Por isso, é importante que seus primeiros pedais sejam bem legais –  escolha um lugar tranquilo, sem obstáculos e com pouco ou nenhum trânsito de veículos ou pedestres. 

Até dominar totalmente o comportamento da bike, vale a pena evitar muitas subidas e descidas. Você vai se cansar menos e aprender a usar a bike sem confusões.

Lembre-se de se alimentar e hidratar corretamente antes, durante e depois do pedal e, durante seus primeiros pedais, acostume-se com o funcionamento da bicicleta, trocando de marcha e acionando os freios para entender o que cada comando faz. 

Preste atenção em como a bicicleta se comporta em curvas, subidas e descidas – assim você estará mais acostumada com o comportamento da magrela em todas as situações.

7 – Invista em pneus sem câmara

Calibre os pneus de forma correta, seguindo sempre a recomendação do fabricante. Vale destacar que as mulheres pesam menos, por isso o pneu deve receber menos pressão – e é exatamente por isso que os pneus sem câmara são especialmente bem-vindos.

Com eles, é possível andar com pressões muito menores, o que amplia bastante o conforto e a segurança de qualquer ciclista, mas especialmente daqueles que são mais leves. De quebra, a sensação de confiança na bike aumenta bastante – é um ganha ganha!

8 – Posição para pedalar

Mantenha os joelhos e cotovelos semi-flexionados e o corpo relaxado o suficiente para absorver os buracos do caminho. Seja no asfalto ou na terra, é importante imaginar-se “flutuando” sobre o terreno. Segure o guidão com firmeza, mas não precisa exagerar.

Para cansar menos os braços e as costas, utilize o guidão da bicicleta mais alto – algo que você pode fazer movendo os anéis espaçadores para baixo da mesa ou, em casos mais extremos, usando a mesa de cabeça para baixo.

Vale ressaltar que, mais uma vez, a visita ao profissional de bike fit é recomendada.

9 – Comece devagar e evolua com o tempo

É bem provável que seus primeiros pedais sejam um pouco desconfortáveis. Afinal, seu corpo ainda não está acostumado com a atividade. Por isso, pegue leve no início e não desista ao primeiro sinal de desconforto – ele vai diminuir com o tempo.

Andar de bike é como fazer qualquer esporte pela primeira vez, então é importante deixar o corpo se acostumar com a novidade. Comece com 20 minutos, depois 30 e assim por diante, sempre em uma progressão bem tranquila.

Outra boa dica é pedalar com pessoas mais experientes, que podem te ajudar nas pequenas coisas como acertar o banco na altura correta ou ajustar um capacete – muitas bicicletarias tem grupos de ciclismo, por isso procure o revendedor Oggi mais perto de você.  

10 – Proteção contra o sol

A melhor proteção contra o Sol é a física, principalmente os manguitos e pernitos com proteção UV. Além disso, os protetores solares em bastão facilitam bastante a aplicação. Se o pedal for muito longo, convém reaplicar o produto de acordo com a recomendação do fabricante.

Outra dica legal é apostar em um capacete com viseira, já que ele ajuda a fazer sombra na testa. Por falar em testa, evite aplicar protetor solar na região – ele escorre junto com o suor nos olhos e o resultado é bem desagradável.

11 – Divirta-se sempre

A dica mais importante para quem está começando a pedalar é nunca esquecer de se divertir. Lembre-se que a bicicleta é extremamente democrática, e isso quer dizer que ela não liga se você vai pedalar 2 ou 200 quilômetros, nem se você está indo devagar ou rápido.

Por isso, suba na sua magrela, encontre seus amigos e amigas e curta a vida sobre duas rodas, com aquele gostinho de liberdade que só a bicicleta tem!

Nos vemos nas pedaladas!