« Voltar

Como pedalar sem sentir as dores causadas pelo selim?

Como pedalar sem sentir as dores causadas pelo selim?

Cansado das dores no traseiro durante suas pedaladas? Confira as dicas abaixo e aumente sua quilometragem sem sofrimento!

Existem dois tipos de ciclistas: aqueles que já sentiram algum tipo de incômodo causado pelo selim, e aqueles que nunca andaram de bicicleta. Brincadeiras à parte, quase todo mundo que pedala já sentiu dores, dormências ou outros problemas relacionados ao selim, mas com certeza esses problemas tem solução. 

Por isso, preste atenção nas dicas abaixo e pedale livre de dores!

1 – O bom e velho bike fit

Não tem muito como escapar: todo texto falando sobre dores na bicicleta vai começar com alguma dica relacionada ao bike fit, que é o ajuste postural do ciclista na bicicleta. Neste processo, um profissional treinado e gabaritado vai encaixar o piloto na máquina, e isso inclui também o selim.

No estúdio de bike fit, um dos equipamentos mais importantes é uma almofada especial, que mede a distância entre os ísquios do ciclista. Encontrar um modelo da mesma largura dos seus ísquios é o primeiro passo para pedalar livre de dores, por isso o processo é tão importante e recomendado. 

Além disso, no bike fit a posição e a inclinação do selim também será ajustada, o que é importantíssimo para que você não sinta dores.

2 – Evite selins moles ou grandes demais 

Durante a pedalada, nosso peso deve ficar apoiado sobre os ísquios e, ao contrário do que muita gente acredita, um selim super largo ou super molenga só vai piorar o incômodo, principalmente em pedaladas mais longas. 

Isso acontece porque este tipo de selim vai comprimir partes mais macias da anatomia humana, partes essas que não suportam muito bem a pressão. Com isso, aumenta o surgimento de dores, formigamentos e, em alguns casos, até mesmo irritações causadas pelo atrito e dificuldades na circulação do sangue. 

3 – Use uma boa bermuda ou bretelle de ciclismo

Além de possuírem um forro acolchoado que ajuda bastante a evitar os problemas mais comuns causados pelo selim, as bermudas e bretelles de ciclismo não possuem costuras internas em áreas de atrito. Com isso, você evita não só as dores, mas também outros problemas como cortes e irritações que podem decorrer do atrito da pele com uma costura mal posicionada. 

Outro detalhe importante é que o tecido deste tipo de roupa costuma ser bem respirável, com alta capacidade de evaporar o suor. Combinando isso com o tratamento contra bactérias, você elimina possíveis fontes de micoses e outros problemas de pele. 

Importante: Roupas de ciclismo foram feitas para serem utilizadas sem roupa de baixo. 

4 – Escolha correta do selim

O formato do selim varia de acordo com fatores como a flexibilidade do atleta e a modalidade que será praticada. Por exemplo, um selim de contra-relógio, em que o atleta passa boa parte do tempo super deitado sobre a bike possui a parte dianteira mais curta do que um selim convencional de estrada.

Já um selim de MTB tende a ter a parte traseira maior e mais plana, já que o ciclista fica em uma posição mais ereta. Pessoas mais flexíveis podem se beneficiar de selins mais planos, já que a posição deles sobre a bike é mais estável. Já pessoas menos flexíveis podem se adaptar melhor com um selim mais curvo, que facilita a manutenção da posição correta.

5 – Selins masculinos e femininos

Via de regra, mulheres têm os ísquios mais afastados que os os homens. Porém, é impossível afirmar que todas as mulheres se sentirão mais confortáveis com selins mais largos – mais uma vez, só uma medição pode dizer o tamanho indicado do seu selim.

Apesar disso, selins femininos podem ter outras diferenças como o formato do nariz e a dureza da forração mais adaptados para a anatomia feminina. Por isso, se for mulher, procure selins femininos, já que as chances de uma boa adaptação são maiores.

6 – Cremes e pomadas

Os cremes e pomadas estilo “butter chamois” são especialmente indicados para pedaladas mais longas, já que eles reduzem drasticamente o atrito entre a pele e a bermuda. Além disso, muitos deles têm propriedades suavizantes e hidratantes, que ajudam a evitar o surgimento de irritações de pele – vale a pena testar.

7 – Teste muitos selins

Mesmo que você compre um selim na sua medida, criado para pessoas do seu sexo e com suas características físicas, ainda existe a possibilidade dele não funcionar corretamentena no seu corpo. Isso porque, cada um tem sua anatomia, e raramente o selim será feito sob-medida.

Por isso, o grande segredo para evitar dores é testar o maior número possível de selins, até encontrar aquele modelo que serve como uma luva. Uma ótima dica é, sempre que possível, peça para dar uma volta na bike dos seus amigos. 

Com isso, provavelmente você não vai descobrir se aquele selim vai funcionar em pedaladas mais longas, mas com certeza já é um ótimo ponto de partida, que ajuda a eliminar da sua lista selins completamente inadequados – você vai sentir isso em poucos minutos de pedal. 

Lembre-se que, de todos os itens da bike, o selim é o mais particular de todos, e um modelo super confortável para uma pessoa pode ser terrível para outra. 

8 – Pedale em pé

Outra dica importante é, de tempos em tempos, dar algumas pedaladas em pé para aliviar a pressão causada pelo selim. No mountain bike e nos pedais de estrada com mais subidas, pedalar em pé é mais natural.

Porém, em pedaladas em locais mais planos, lembre-se de engatar uma marcha mais pesada de tempos em tempos, e dar alguns giros em pé. 

9 – Selins com ou sem canal central?

A presença ou não do canal não é um fator determinante para o conforto do selim e, em alguns casos, o desenho pode mais atrapalhar do que ajudar. Mais uma vez, tudo depende da adaptação do seu corpo com o banco da bicicleta. Por isso, lembre-se de testar sempre que possível.

10 – Depilação

Ciclistas são conhecidos por depilarem as pernas. Mas, o processo de eliminar os pelos não deve chegar até as partes que ficam em contato com o selim. Isso porque, o pelo funciona como um redutor de atrito e, em alguns casos, ele pode ficar encravado ao crescer – aí sim você terá um problema bem chato de lidar. 

11 – Pedale mais, mas dê tempo ao corpo

Venhamos e convenhamos: você pode ter o melhor selim, o melhor creme e a melhor bermuda do mundo. Mas, se você não está acostumado a ficar sentado em um pequeno banquinho, com certeza vai sofrer um pouco até seu corpo se acostumar. 

Seja gradativo em suas pedaladas e aumente o tempo aos poucos. Assim, você dá tempo para seu corpo se adaptar à uma nova forma de ficar sentado!

Agora, prepare seus equipamentos, suba na bicicleta e bons pedais!