« Voltar

Pneu tubeless sem câmara é melhor para Mountain Bike?

Pneu tubeless sem câmara é melhor para Mountain Bike?
Tirar as câmaras dos pneus da sua mountain bike oferece diversas vantagens, mas a conversão exige alguns cuidados. Confira.


Se você está começando a pedalar, certamente já ouviu falar dos pneus tubeless, que dispensam as câmaras de ar e, em teoria, oferecem mais desempenho, menos furos e conforto aprimorado. 

Mas, será que a conversão para este tipo de pneu vale a pena? Para explicar isso para você, preparamos uma listinha com as vantagens e desvantagens dos pneus tubeless, e também em quais situações eles são mais ou menos vantajosos. 

Importante: Apesar de muita gente fazer a conversão para pneus sem câmara utilizando rodas e pneus convencionais, este tipo de adaptação não deve ser realizada. Além do risco de vazamentos constantes, este tipo de adaptação pode causar acidentes.

Como os aros e pneus convencionais foram feitos para trabalhar com câmara, existe o risco real do pneu escapar do aro em situações mais extremas, o que fatalmente vai causar um acidente. 

Na Oggi, todos os modelos da linha Big Wheel já vem equipadas com aros compatíveis com tubeless. Além disso, a partir da Big Wheel 7.2, todas as bikes já vem com pneus compatíveis com o sistema – de uma forma ou de outra, é muito importante identificar se seu equipamento aceita a conversão.

Pneus tubeless costumam ter essa indicação descrita em sua lateral, com siglas como TR (tubeless Race, no caso da Kenda) ou TLR (Tubeless Ready). No caso dos aros, a melhor coisa a se fazer é conferir na ficha técnica do modelo no site do fabricante. 

 

Como funciona o pneu sem câmara?

A tecnologia por trás dos pneus sem câmara para bicicletas aposta em alguns itens criados para manter o ar dentro do conjunto aro / pneu. Para isso, uma fita adesiva especial é utilizada para fechar os furos dos raios dentro do aro. Além disso, uma válvula especial é instalada no aro, já que normalmente a válvula do ar faz parte da câmara. 

Para manter o selamento perfeito e evitar que o pneu escape do aro, a montagem do sistema tubeless costuma ser muito mais justa. Via de regra, encaixar um pneu “TLR” no aro é bem mais difícil do que um convencional. 

Além disso, o aro para tubeless tem duas estrias que mantém o pneu encaixado mesmo se ele estiver sem nenhuma pressão. Isso permite que você encha o pneu com mais facilidade caso ela perca todo o ar por algum motivo.

Por último, a base de todo sistema sem câmara é o líquido selante, que exerce duas funções extremamente importantes:

1 – Vedar furos que acontecem durante a pedalada.
2 – Vedar qualquer vazamento ou porosidade nos pneus – sem ele, muitos pneus deixam o ar escapar através da borracha e do tecido que compõe a carcaça do pneu. 


Vantagens dos sistemas tubeless

Menos furos – De cara, a maior vantagem das montagens sem câmara é a possibilidade de usar pressões menores, mesmo em trilhas mais esburacadas. Com a câmara, os furos estilo mordidade de cobra, que acontecem quando a câmara fica prensada entre o aro e algum objeto duro como uma pedra, são super comuns. Para evitá-los, é preciso colocar mais pressão nos pneus – aprenda a calibrar corretamente os pneus da sua mountain bike neste artigo

Além disso, furos menores acabam sendo vedados pelo selante, muitas vezes até sem que o ciclista perceba. Isso faz toda a diferença em um treino, competição e até mesmo na sua diversão do fim de semana. 

Mais conforto e aderência – Como você pode usar menos pressão de ar, a rodagem da bike fica mais confortável. Além disso, este efeito de conforto fica ainda melhor porque, sem a câmara, existe uma estrutura a menos para se deformar, o que permite que o pneu siga com mais precisão os contornos do terreno.

Mais velocidade de rodagem Boa parte do atrito que resiste ao movimento da bicicleta vem das estruturas internas do pneu. Isso porque, cada vez que uma parte do pneu encosta no chão, todas as suas camadas de borracha, tecidos da carcaça e camadas de proteção se deformam. Quando essa parte sai do chão, a deformação acontece novamente, e tudo isso rouba energia do ciclista.

Sem a câmara de ar, existe uma coisa a menos para deformar e roubar sua potência. Por isso, os pneus tubeless têm uma menor resistência ao rolamento. 

 

Desvantagens do sistema tubeless

Custo Aros e pneus especiais, fitas de aro, válvulas, selante… querendo ou não, todos esses itens tem um custo, que será somado à mão de obra da montagem do seu sistema tubeless. Pelo máximo que atualmente existam opções relativamente baratas no mercado, o custo do tubeless tende a ser maior.

Montagem mais complicada – Trocar uma câmara de ar furada na bicicleta é uma coisa super simples de fazer, montar um pneu sem câmara não, principalmente quando falamos da primeira montagem. Muitas vezes, você vai precisar de um pressurizador de ar para fazer o pneu “encaixar” no aro, e nem todo mundo tem um desses em casa. 

Manutenção – Se seu pneu não furar, provavelmente você nunca vai precisar desmontá-lo para nada. Por outro lado, o tubeless exige uma certa manutenção – o selante seca depois de um tempo e precisa ser reposto. Além disso, às vezes ele se acumula em “pelotas” que devem ser retiradas de dentro do pneu. 

Outro detalhe que merece consideração é que, muitas vezes, o selante vai cair no chão da hora de montar, desmontar ou reaplicar o produto – é uma sujeira chata e grudenta. 

Remendos especiais Em casos de furos que o selante não consegue vedar, você vai precisar de um remendo especial, que normalmente é composto de uma agulha de aplicação e de um “macarrão” de borracha adesiva – ele é super simples e rápido de usar, mas mesmo assim é sempre mais um coisa para ser comprada e carregada. 

 

E no fim, vale a pena o tubeless?

O uso ou não da câmara depende completamente de qual é seu objetivo com a bike. Para fazer pedaladas pela cidade, parques e ciclovias, muito provavelmente você estará bem servido com o sistema tradicional – ele é simples, descomplicado, barato e continua sendo totalmente funcional.

Mas, se você deseja mais desempenho e controle nas trilhas, mesmo que isso custe um pouco de dinheiro e seja mais trabalhoso, o sistema tubeless com certeza vale a pena. Até porque, atualmente, atletas profissionais e pessoas que levam o esporte mais a sério nem consideram mais usar pneus com câmara.

Dica extra: mesmo com o tubeless, sempre é importante levar uma câmara reserva para o pedal, caso você sofra algum furo maior que não possa ser reparado.