« Voltar

Ciclismo de Estrada para o MTB

O benefício do ciclismo de estrada para o mountain bike

Para um atleta de Mountain Bike, o ciclismo de estrada deve ser visto com bons olhos porque é parte importante de um planejamento de desenvolvimento e um complemento aos seus treinamentos, mas existe a dose certa nesta divisão Estrada/MTB.

 

Primeira Visão
O equipamento de preferência deve ser uma bike de estrada, mas com uma MTB adaptada com os pneus lisos também pode funcionar muito bem.

Para alguns profissionais, a divisão de porcentagem de treinamento Estrada X MTB é de 60% Estrada e 40% MTB.

A principal diferença é o trabalho de resistência, força e explosão que pode ser desenvolvido com a bicicleta de estrada com o detalhe de diminuir os riscos de uma lesão por queda comum nos treinos com a MTB, preservando assim seu estado físico para o dia da competição.

 

Resistência

Para quem está iniciando pode chegar a obter algum efeito com treinos de até 2 horas, dependendo do seu objetivo você pode ir acrescentando nos próximos treinamentos 30 min a mais, e ir pouco a pouco aumento o tempo.

Os trabalhos de resistência podem chegar a 6 horas de pedal, que é o caso de atletas profissionais.

Muito importante nesse processo de acréscimo de tempo em seus treinamentos, é ficar atendo a como seu corpo vai responder, ao ponto que forem ficando mais longos.

É normal sentir algum desconforto, seja lombar, pescoço, joelho, punhos, etc…, isso servirá de alerta para uma análise, tanto no aspecto do ajuste da sua bike, quanto se você já não está acima do limite do seu corpo, que pode ser um indicativo de que você está precisando de um descanso para que o seu corpo se recupere.

 

Força

O trabalho de força com a bicicleta de estrada já acontece naturalmente, pois o conjunto de marchas é bem mais pesada que uma MTB, mas sendo você um Mountain Biker o foco deve ser sempre nos treinamentos com bastante altimetria, pois é nesse tipo de acúmulo de escaladas que você vai trabalhar a força muscular e cardiovascular em conjunto.

Além da técnica, um bom Mountain Biker tem que ser um bom escalador.

Complementar ao pedal, você pode também aplicar o trabalho de Musculação na academia.

A dica é sempre após o trabalho de fortalecimento muscular, fazer pelo menos 30 minutos de giro em uma ergométrica ou spinning, para recondicionar a sua musculatura atrofiada pelo esforço ao pedal novamente.

Não esqueça do trabalho de alongamento para finalizar tudo.

 

Explosão

É uma palavra forte, mas com presença constante no cenário das competições. São momentos que acontecem principalmente na hora de uma largada e muitas vezes em ataques de outros atletas na tentativa de uma fuga. Para minimizar o efeito de um ataque que normalmente faz com que o seu batimento cardíaco e sua respiração vá as alturas, é preciso educar.

Para isso, existem as sessões de tiros ou sprints que podem variar de 30 segundos a até 15 minutos com intensidades diferentes: (menor o tempo mais intensidade, mais longos menor intensidade).

Essas variações são inúmeras dependendo de cada objetivo. Portanto, vale sempre a orientação de um profissional de treinamento para que realmente tenha o efeito desejado.

Esse tipo de treinamento chamamos de estímulos, e em geral são administrados próximos de competições justamente para educar seu organismo as diversas variações de intensidade que ocorrem dentro de uma competição.

 

Adicional

Como experiência complementar, vale também fazer pedais com pelotão ou até mesmo participar de uma prova de ciclismo de estrada, pois o contato com um grupo de ciclistas em velocidade próximos um dos outros vai adicionar habilidade e percepção, fatores que também vão ajudar no Mountain Bike.

 

Dica final

Não esqueça que você é um Mountain Biker e na divisão de porcentagem os 40% de treinamento com a MTB são fundamentais.

Técnica apurada só se faz na terra.

Vá com calma e bons treinos.