« Voltar

Dicas para nunca mais empurrar a bike nas subidas

Dicas para nunca mais empurrar a bike nas subidas

Se empurrar não está em seus planos, siga estes conselhos e vá mais longe montanha acima!
Seja na trilha, na estrada ou no caminho para o trabalho, as subidas são obstáculos que fazem parte da vida de quem anda de bicicleta. Normalmente, a melhor maneira de superar uma ladeira é pedalando – afinal, além do tempo que você perde subindo e descendo da bike, muitas vezes empurrar pode até ser mais cansativo.

Por isso, siga as dicas abaixo e vá mais longe, sempre em cima de sua bicicleta!

1 – Não ultrapasse o limite

“Quando falta potência, temos que ter paciência” é uma frase que não pode sair da cabeça do ciclista, principalmente quando a subida é mais longa. Nestes casos, é importante saber qual é o máximo de força que você consegue fazer por períodos longos e nunca ultrapassar este limite – este tipo de experiência você ganha com o tempo.

A melhor maneira de aprender isso é começar por baixo. Use marchas leves (coroa pequena, pinhão grande) e vá sem pressa, sem jamais tentar acompanhar o ritmo de outras pessoas.

Com o tempo, mesmo sem usar um monitor cardíaco, você vai aprender a ouvir os sinais do seu corpo, aprendendo até onde é possível forçar o ritmo sem “quebrar”.

 

2 – Use sua velocidade

Às vezes, a melhor maneira de encarar uma subida curta e inclinada é acelerar antes dela, usando o embalo para superar o obstáculo. Lembre-se que, quanto maior for a ladeira, mais difícil fica utilizar esta técnica – evite acelerar demais se a rampa tiver mais do que algumas dezenas de metros.

Nas trilhas, chegar embalado nas subidas curtas e inclinadas é especialmente útil, já que muitas vezes elas ficam repletas de erosões e pedras. A velocidade mais elevada ajuda a manter o equilíbrio e a tração da bike, facilitando a navegação por entre os obstáculos.

 

3 – Olhe para onde você quer ir

Em muitas subidas nas trilhas, é preciso passar com a bike por entre pedras, buracos e galhos. Por isso, mantenha o foco da visão no caminho que você quer seguir. Se você olhar para uma erosão, fatalmente vai acabar indo na direção dela.

 

4 – Escolha a marcha correta

Os câmbios dianteiros modernos como o Shimano Alivio Side Swing que equipa a Oggi Big 7.1 2021 são realmente excelentes. Porém, principalmente em bicicletas com mais de uma coroa, começar a subir na coroa que você vai usar até o final é sempre uma boa idéia.

Mesmo em bikes com apenas uma coroa, trocar várias marchas traseiras de uma vez pode fazer a corrente escorregar nas engrenagens do cassete. Portanto, quando for começar a subir, convém não estar com uma marcha muito pesada engatada.

 

5 – A cadência ideal

A cadência indica quantas vezes você gira os pedais da bicicleta a cada minuto (RPM – Rotações por Minutos). Para a maioria dos ciclistas, a cadência ideal fica entre 70 e 90 RPM, mas isso muda muito de pessoa para pessoa.

Via de regra, tente girar mais as pernas, evitando pedalar de forma mais travada. Baixas cadências geram mais desgaste muscular e pressão nas articulações e ligamentos, o que pode aumentar o risco de lesões. Para controlar sua cadência, invista em um computador que tenha esta função.

 

6 – Peito no guidão

Se a subida for muito inclinada, sente-se mais para a ponta do selim e curve o corpo para frente. Isso ajuda a manter a frente da bike no chão, evitando empinadas e a perda de controle direcional.

 

7 – Aproveite seu embalo no começo das subidas

Mesmo em subidas longas, você pode aproveitar a sua velocidade para superar com mais facilidade os primeiros metros da ascensão. Para isso, mantenha a força nos pedais e vá trocando as marchas de forma gradativa, tentando manter sua velocidade sem fazer força demais.

 

8 – Melhore a tração e evite escorregadas

Principalmente nas trilhas escorregadias, apostar em pneus com boa tração ajuda a evitar escorregões – quando elas acontecem em baixa velocidade, fatalmente você vai colocar o pé no chão. Não é à toa que bikes como a Oggi Agile Pro GX 2021 apostam em pneus com ótima aderência em terrenos variados, como o Kenda Booster Pro 2.4’’.

Além dos pneus, uma dica importante é evitar pedalar em pé, principalmente se a subida for lisa, escorregadia e inclinada – sem seu peso no banco, as chances do pneu traseiro escorregar são enormes.

 

9 – Mais potência, menos peso

Praticamente tudo o que acontece em uma subida é ditado por dois fatores: a potência que o ciclista tem, e quanto peso ele precisa carregar. Obviamente, treinar (mais potência) e emagrecer (menos peso), são as maneiras mais óbvias de melhorar essa relação.

Além disso, certamente bikes super leves como a Agile Squadra 2021 com seus 9.4Kg ou a estradeira Cadenza 700 também podem ajudar a reduzir em alguns Kg o peso do conjunto bike e ciclista.

Outra receita comprovada é aumentar a potência com assistência elétrica, o que pode ser feito com modelos como a mountain bike elétrica Oggi Big Wheel 8.3, ou com as urbanas Big Wheel 8.0 e Flex 200.

 

10 – Dividir para conquistar

Subidas são desafios físicos e mentais. Por isso, nas montanhas e ladeiras mais longas, uma ótima estratégia é dividir o percurso em vários desafios menores – pedalar até a próxima placa, árvore ou poste ajuda a controlar melhor os pensamentos.

Outra forma de distrair a mente é alternar entre pedaladas em pé e sentado, contando quantas vezes você gira o pedal antes de mudar de posição. Você pode pedalar 20 vezes em pé e 20 vezes sentado, por exemplo.

É importante lembrar que pedalar em pé aumenta o desgaste físico e o risco do pneu traseiro escorregar. Por isso, só use esta técnica em locais apropriados.

 

11 – Se parar, não empurre

A não ser que a ladeira seja totalmente intransponível para você, evite empurrar a bike nas subidas. Até porque, como você pode imaginar, empurrar uma bike não é um bom treinamento para pedalar.

Por isso, se o cansaço bater forte demais ou o coração acelerar muito, faça uma pausa, recupere o fôlego e suba novamente na bike para completar o desafio pedalando!

 

12 – Pedalar sentado

Fisiologicamente, pedalar em pé gera mais cansaço do que pedalar sentado. Por isso, tente manter-se sentado e girando as pernas, com marchas mais leves, a maior parte do tempo.

Pedale em pé apenas para acelerar rapidamente ou para transpor um trecho mais inclinado, que exija mais potência nos pedais, ou em subidas longas mas não muito taxativas, como ferramenta para distrair a mente.

 

13 – Descanse para acelerar

Muitas vezes, principalmente nas trilhas, é preciso acelerar com força para ultrapassar algum trecho mais inclinado ou técnico. O segredo nessas horas é diminuir a velocidade antes do obstáculo para recuperar o fôlego, acelerar com determinação e depois descansar novamente.

 

14 – Conheça a subida

Saber onde você terá que fazer força, qual marcha usar e por onde passar são algumas das vantagens que chegam com o conhecimento da subida que você vai encarar. Por isso, preste atenção no percurso e observe por onde os ciclistas mais experientes estão passando – dica válida especialmente para as trilhas.