« Voltar

Bicicleta com freio a disco vale a pena?

Bicicleta com freio a disco vale a pena?


Mais moderno, eficiente e seguro, o freio a disco na bicicleta pode fazer toda diferença nas suas pedaladas. Mas, nem todos são iguais!

Se você está comprando sua primeira bicicleta depois de muitos anos sem pedalar, ou se está chegando agora no mundo das pedaladas, a escolha de uma boa bike deixa muita gente em dúvida. Afinal, existem milhares de modelos disponíveis no mercado e, muitas vezes, a etiqueta de preço é a primeira coisa que você vai olhar.

Porém, além deste detalhe super importante, vale a pena ficar de olho em outros “detalhes” da bike, principalmente quando eles envolvem sua segurança, e este é o caso dos freios. 

Neste quesito, de cara muita gente já fica com uma dúvida básica: o freio a disco vale a pena? E a resposta, neste caso, é um retumbante SIM, mas com algumas pequenas observações. 

 

Freios a disco Vs. Freios de aro

Os freios a disco para bicicletas não são novidade. Afinal, eles existem há décadas! Porém, nos últimos anos, o avanço das técnicas de produção permitiu que a tecnologia dos discos chegasse até em bicicletas mais baratas, que muitas vezes são a porta de entrada para quem está começando nos pedais.

Os discos oferecem muitas vantagens sobre os tradicionais freios de aro, como os v-brakes. Até por isso, carros, motos, trens e até mesmo aviões usam freios a disco – eles são uma das maneiras mais eficientes que encontramos para reduzir a velocidade de veículos. 

  • O disco é independente do aro. Por isso, uma roda empenada não afeta a frenagem.
  • A vida útil do aro é “infinita”, já que ele não se desgasta quando freamos a bike.
  • Eles oferecem mais potência de frenagem, cansando menos os dedos do ciclista.
  • Eles oferecem mais modulação, que é a capacidade de controlar a frenagem.
  • Discos funcionam melhor em condições adversas como chuva e lama.
  • Discos hidraulicos não precisam ser ajustados de tempos em tempos.
  • Elimina o trabalho de realinhar as sapatas conforme elas se desgastam.

 

Minha bike precisa de freios a disco?

A resposta, neste caso, depende do uso que você faz da bike. Nas trilhas, o equipamento é fundamental. Até por isso, mesmo modelos de entrada como a Oggi Hacker Sport já utilizam esta tecnologia. O mesmo vale para toda a linha de MTB da Oggi.

Nas cidades, o uso também é bastante indicado, a não ser que o uso seja super recreacional. Se a bike for elétrica como a Big Wheel 8.0 ou a Oggi Flex 200, o peso adicional do motor e da bateria significa que a potência adicional de frenagem é muito bem-vinda. 

Já nas estradas, o uso dos freios a disco é cada vez mais comum, com modelos avançados como a Oggi Cadenza 500 disc e a Oggi Stimolla Disc apostando nos discos. 

 

Freios a disco Hidráulico ou mecânico?

Via de regra, existem duas maneiras de acionar um freio a disco: cabo de aço ou fluido hidráulico. O funcionamento de ambos é bem simples: 

Mecânico – Um cabo de aço leva o movimento dos manetes até a pinça. A pinça pressiona um par de pastilhas contra o disco, gerando atrito que reduz a velocidade da bike.

Hidráulico – O óleo é comprimido por uma “seringa” dentro do manete, para dentro de uma mangueira que vai até a pinça. Na pinça, o óleo empurra as pastilhas contra o disco, gerando o atrito que reduz a velocidade da bike.

Os freios a disco hidráulicos são mais potentes, têm mais modulação e, via de regra, seu funcionamento é melhor do que os mecânicos. Porém, os discos com acionamento por cabo são mais baratos, e muitos modelos possuem um bom funcionamento.

Por isso, se você tiver dinheiro para investir, uma bike com freios a disco hidráulico costuma ser uma opção com desempenho mais satisfatório. Mas, em alguns casos, o disco mecânico ainda pode ser uma boa opção. 

Isso porque, independente do freio a disco ser hidráulico ou mecânico, ele deve ser um bom freio a disco!

 

Conclusão – Como escolher um bom freio a disco? 

Aqui está um dos pontos mais importantes deste artigo. Até porque, sabemos que, assim como tudo na vida, nem todos os freios a disco são iguais. Isso significa que, apesar da tecnologia ser boa, infelizmente muitos modelos, principalmente os de origem desconhecida, podem apresentar um funcionamento insatisfatório. 

Os bons freios costumam ser feitos por marcas de grande presença no mercado, como Shimano e SRAM, porém diversos outros fabricantes conseguem oferecer produtos de boa qualidade.

Por isso, a não ser que você tenha conhecimento técnico para identificar um bom freio, a melhor coisa a se fazer é sempre comprar bicicletas de marcas consagradas e bem avaliadas como a Oggi, que possui uma equipe de desenvolvimento com bastante conhecimento, capaz de criar bikes de alta qualidade, com a melhor relação custo-benefício do mercado.